NotÍcias

Imprimir esta matéria Enviar para um amigo Ver todas as matérias

Cantora piauiense acusa Marcelo Rossi de plágio

Publicado em 13-05-2010

Texto e fotos: Carlos Lustosa Filho / CidadeVerde.com

Tags: direitos autorais  

A piauiense Marinalva Santos com o CD que gravou em 2001, intitulado Por Amor (capa abaixo)

“E ainda se vier, noites traiçoeiras
Se a cruz pesada for, Cristo estará contigo
O mundo pode até
Fazer você chorar
Mas Deus te quer sorrindo”


Os versos conhecidíssimos que falam do amor e compaixão divinos são da piauiense Marinalva Santos. Isso é o que ela, cantora evangélica de 37 anos com mais de cem músicas compostas, e seu esposo - e empresário – pastor Francisco das Chagas Felipe, estão querendo provar. Em 2008, a música virou sucesso na voz do padre Marcelo Rossi, que afirmou não ter se apropriado da canção, mas comprado-a legalmente de uma pessoa que afirmava ser seu compositor original.

Marinalva reclamou a “maternidade” da faixa durante o Jornal do Piauí desta quarta (23) e afirmou ter várias provas e testemunhas para provar a autoria. A cantora afirma que a música foi composta em 1999 em parceria com a também evangélica e compositora mineira Vânia Nunes especialmente para o aniversário de um grupo da Igreja Assembléia de Deus Missionária em Uberlândia, onde foi apresentada pela primeira vez. "Fizemos inspiradas em um salmo", revela. Quem primeiro gravou canção com o nome de “Deus te quer sorrindo” foi o cantor gospel acreano Marcelo Leite em 2001, devidamente autorizado pela piauiense. No mesmo ano foi a vez de Marinalva gravar a canção em no primeiro CD, intitulado “Por Amor”.

“Sempre viajei para vários congressos e sempre vendi meus CDs. Eles já foram parar em São Paulo, Mato Grosso, Bahia”, conta a cantora que diz ter vendido mais de cem cópias do seu primeiro disco. Entretanto, um dos maiores divulgadores da música em território nacional, foi mesmo o padre católico Marcelo Rossi. O religioso gravou a faixa rebatizada de “Noites Traiçoeiras” em 2008 no disco “Paz Sim, Violência Não – ao vivo volume 1” com a participação do cantor de pagode Belo.

“Quando escutei pela primeira vez (a versão de Rossi), pensei ‘Meu Deus, como a música chegou até esse homem?’ Mas nem me importei. Outro dia falei com Vânia e ela me disse ‘está vendo irmã, aonde nossa música chegou?’”, conta Marinalva. Ela afirma que não vê problema algum em ter sua canção gravada por qualquer pessoa que use-a para louvar a Deus. “Mas fiquei muito triste, chateada, não sei nem com dizer, quando vi minha música no carnaval. Vi até mesmo bêbados cantando na rua ‘Deus está aqui neste momento’”.

Pastor Felipe afirma que a grande questão não é a luta por direitos autorais, mas o reconhecimento de Marinalva como autora da música. “Não nos importamos que o padre cante. Mas queremos que ele coloque quem é a verdadeira compositora em seus discos”, descreve, afirmando que não irá lutar pelo lucro originado pelas vendas que os discos já vendidos por Marcelo Rossi.

Os nomes nos quais a música foi registrada, segundo Marinalva são os do padre Marcelo Rossi, padre Reginaldo Manzotti e Simone Telesforo.

Cruz
Entretanto, Marinalva afirmou ao CidadeVerde.com que quando tiver sua autoria comprovada – seu primeiro disco e pessoas ligadas ao processo de gravação deste são suficientes, acredita – pretende proibir que bandas de forró e axé toquem “Noites Traiçoeiras”. “Se puder proibir, eu faço. Sei que é difícil controlar, porque são muitos casos, mas estou disposta a entrar na Justiça”, pontua, acrescentando que o nome da faixa pode ficar o mesmo consagrado por Rossi.

Vivo
Após divulgar seu telefone durante a entrevista ao Jornal do Piauí, o celular do pastor Felipe não parou de tocar. Era o próprio Marcelo Rossi que queria entrar em contato. O padre afirmou que não se apossou da canção, mas comprou legalmente, deixando sua assessoria à disposição dos piauienses, sem, entretanto, revelar com quem teria feito a negociação. Marinalva e o pastor Felipe afirmaram que vão a São Paulo no próximo dia 5 de outubro para decidir a questão com Marcelo Rossi. O padre entretanto, afirmou por meio de sua assessoria que o impasse deve ser resolvido com sua gravadora, a SonyBMG.

Comentários

Copyright Efrata Music Editora. Desenvolvido por Universo Produções.

Visite o canal da Efrata Music no YouTube e assista a vídeos exclusivos.