MÚsica Gospel

POR ELVIS TAVARES
elvistavares@efratamusic.com.br
Imprimir esta matéria Enviar para um amigo Ver todas as matérias

Discriminação no gospel é hipocrisia, diz Magno Malta

Publicado em 07-08-2017

Texto: Redação Efrata Music

Tags: evangélico e secular  

Magno Malta não concorda em rotular a adoração como um gênero musical: 'É estilo de vida'
Magno Malta não concorda em rotular a adoração como um gênero musical: 'É estilo de vida'

O preconceito musical no meio evangélico foi um dos temas centrais da entrevista do cantor e senador Magno Malta a Elvis Tavares no programa Onde os Fracos Têm Vez (OFTV) do último sábado (5). À frente do grupo de samba gospel Tempero do Mundo desde 1994, Malta revelou que até hoje sofre discriminação por conta do estilo musical.

"Dizem que o samba é uma dança sensual. Sensual é o forró, que foi assimilado [pelos evangélicos]. Deixamos de tocar em muitos lugares porque muita gente discriminou, disse que [o samba] não era de Deus. O que é de Deus? Quem são esses 'promotores do quarteirão', que são donos de Deus, e Deus só gosta do que eles gostam? A música é o idioma do céu. Então, não existe essa história de música que abençoa e música que não abençoa", afirmou.

Malta atribuiu ao samba a ampla divulgação que o Tempero do Mundo conseguiu na mídia secular, de forma pioneira, tendo tocando em vários programas de TV. Ele aproveitou para defender esse e outros gêneros musicais.

"Deus deu os melhores ritmos da Terra para o Brasil: samba, forró, sertanejo, bossa nova. Posso abrir minha boca e adorar a Deus da forma que me aprouver. Uma música não é mais tradicional por ser de uma denominação", opinou.

Outro erro, para o cantor, está em classificar a adoração a Deus como um estilo musical.

"Adoração é estilo de vida. Tem gente que não é dizimista, que não tem compromisso com a igreja, mas canta pop-rock e é 'adorador'. Então, Deus não quer nem saber daquele irmão que canta enfurnado na Amazônia, tocando gaita feita com taboca? Ele só quer o 'encontro de adoradores' do pessoal que toca pop-rock? É uma hipocrisia que chega a ser criminosa, discriminadora, desnecessária. A nossa adoração tem que vir de dentro, daquilo que nos empurra para testemunhar e viver o que pregamos. Não tem nada a ver com estilo musical", disparou.

Ao falar de política, Malta comemorou as recentes e constantes divulgações na mídia de escândalos de corrupção, atribuindo-as à resposta de Deus para orações dos evangélicos.

"Pedimos uma intervenção, e Deus fez. Essa lama que está vindo à tona e vemos todo dia jorrar é um tumor que vem a furo, e tumor a furo é podre. Pus fede muito. Mas tumor só sara se doer, se você apertar pra tirar o pus. Os rostos estão sendo revelados, as máscaras caíram. Tenho certeza de que Deus tem o melhor para o Brasil, e nós sairemos lá na frente depurados, muito melhores do que éramos lá atrás", declarou.

O programa também lembrou músicas gravadas por Magno Malta em carreira solo e com o Tempero do Mundo, além de duetos com Aline Barros, Fernanda Brum, Sérgio Lopes e Samuel Ribeiro (guitarrista da banda Sinal de Alerta, entrevistado na edição anterior do OFTV). Casado com Lauriete, o cantor ainda adiantou um álbum que lançará com a esposa, em homenagem às mães deles, com regravações das duplas Otoniel e Oziel e Oziel e Alda, entre outras músicas.

Elvis Tavares é advogado, pós-graduado em Propriedade Intelectual pela PUC/RJ, cantor, compositor, produtor, escritor, radialista e manager da Efrata Music

Comentários

Copyright Efrata Music Editora. Desenvolvido por Universo Produções.

Visite o canal da Efrata Music no YouTube e assista a vídeos exclusivos.