MÚsica Gospel

POR ELVIS TAVARES
elvistavares@efratamusic.com.br
Imprimir esta matéria Enviar para um amigo Ver todas as matérias

Autor de solo de bateria famoso nunca recebeu direitos autorais

Publicado em 17-10-2015

Tags: direitos autorais  gospel e popular  

Gregory Coleman (segurando as baquetas) e os demais músicos da banda The Winstons - Foto: Divulgação Gregory Coleman (segurando as baquetas) e os demais músicos da banda The Winstons - Foto: Divulgação

O baterista norte-americano Gregory Cylvester Coleman, da banda The Winstons, é autor de uma levada famosíssima de bateria, utilizada na gravação da música gospel Amen, brother, em 1969.

O insólito na história é que Coleman morreu em 2006 sem jamais ter recebido direitos autorais pela criação do solo de bateria.

Depois do lançamento do disco - na verdade, um compacto simples produzido pela Metromedia Records - a virada criada pelo músico, na gravação em estúdio feita em Atlanta, na Geórgia, ultrapassou as expectativas, contabilizando atualmente cerca de 1,5 mil canções contendo a criação do grupo The Winstons.

Os músicos haviam se reunido para decidir sobre a faixa que completaria o disco Color him father, no lado B, e uma vez resolvidos por uma música instrumental, fecharam o repertório com a regravação da música gospel Amen, brother, momento em que, sem planejamento anterior, em determinado trecho da canção, o acompanhamento breca para que o baterista crie a virada que se tornaria mundialmente famosa.

Músicos renomados se valeram da criação de Coleman, como, por exemplo, David Bowie, na canção Little wonder, e também o grupo Oasis, na música Do you know what I mean, ambas de 1997.

"O ritmo é sincopado e há diversas variações na bateria que você pode fazer a partir da amostra original. Ele é propício para cortar e rearranjar. E tem uma pegada única", disse Nate Harrison, autor de um documentário sobre o solo de Coleman.

Aqui no Brasil, dois casos do uso da levada Amen, break (apelido da batida) são facilmente percebidos. O primeiro no iê, iê, iê de Roberto Carlos, na contagiante Quando, hit dos anos 60.

Já no gospel nacional, a criação do percussionista aparece no álbum Viva com Deus, de Ozeias de Paula, de 1982, da extinta gravadora Juerp - Ozeias regravou a música Amen, brother em português, porém, nos créditos do disco não se faz menção ao autor da obra, Richard Spencer.

Segundo informações da BBC News, o DJ Steve Theobald está empenhado numa campanha para arrecadar fundos para Spencer.

"Trata-se de devolver a um homem de 72 anos que tem problemas do coração que nunca viu um centavo de seus direitos autorais", disse Theobald.

Spencer, no entanto, não pode pleitear para si os direitos do baterista, uma vez que seus direitos se resumem somente à autoria da obra.

Seria interessante que os discos citassem Coleman como o criador da performance Amen, break, pois isso facilitaria que seus herdeiros recebessem os royalties devidos.

Elvis Tavares é advogado, pós-graduado em Propriedade Intelectual pela PUC/RJ, cantor, compositor, produtor, escritor, radialista e manager da Efrata Music

Comentários

Copyright Efrata Music Editora. Desenvolvido por Universo Produções.

Visite o canal da Efrata Music no YouTube e assista a vídeos exclusivos.